Acelere seu WordPress com um cache de banco de dados

À medida que um blog WordPress vai crescendo em número de páginas, posts e comentários, é natural que o sistema vá ficando cada vez mais “pesado”, em virtude da maior quantidade de dados a processar. É natural que esse trabalho também implique mais visitantes no blog, logo mais requisições são feitas ao servidor. E nem falamos do fato de blogueiros adorarem plugins, que nem sempre são primores de otimização de código, vindo a contribuir com o aumento da demanda por processador.

A instalação e correta configuração do WP Super Cache é fundamental para o bom funcionamento de qualquer blog, principalmente em se tratando de blog grande. Porém, além dele existe um outro plugin de fundamental importância para o bom funcionamento do sistema.

Como funciona um plugin de cache de banco de dados

A função de todo e qualquer cache é evitar reprocessamento de informação, mantendo dados processados sempre prontos para uso, de acordo — claro — com os dados de entrada do processo.

Em outras palavras, falando do cache do banco de dados, um plugin destes tem de interceptar as buscas que vão ser feitas ao banco, e verificar se uma outra busca idêntica não foi feita, já, durante o período de validade do cache; caso sim, em vez de fazer uma dispendiosa consulta ao banco de dados, o plugin entrega os dados já processados do cache para o aplicativo que segue sua programação, ocasionando economia de ciclos de processamento.

Plugin WP-REDIS

Se o seu blog hospedado na PortoFácil utiliza o WP-REDIS como mecanismo de cache você não precisa de nenhum plugin adicional para fazer cache do banco de dados.

O WP-REDIS além de fazer cache de páginas em memória, acelerando enormemente a velocidade de entrega de conteúdo aos visitantes, ainda faz cache de banco de dados e cache de objetos no WordPress.

Três gerações do DB Cache

Segundo consta, o plugin “mágico” capaz de operar curas em servidores estressados já está em sua terceira geração.

A primeira se chamava apenas DB Cache, e implementava a funcionalidade básica do plugin.

A segunda geração do DB Cache, na verdade um fork da primeira versão, passou a se chamar DB Cache Reloaded. Sua principal característica era prover compatibilidade com as novas versões do WordPress, que ficaram incompatíveis com o plugin original. Além disso, o DB-Cache Reloaded criou um modo de compatibilidade, chamado wrapper mode, que permitia que plugins escritos sem considerar as diretrizes de desenvolvimento do WordPress também pudessem ser usados no blog, à custa de uma pequena degradação no desempenho do plugin.

A história se repetiu: o DB Cache Reloaded tornou-se incompatível com o WordPress 3.1.x, ocasionando desde a simples quebra do funcionamento do plugin até a quebra do funcionamento do blog todo. E então surgiu mais um fork, dessa vez chamado de DB Cache Reloaded Fix. Como o nome sugere, esta versão é apenas uma correção no DB Cache Reloaded, para torná-lo compatível com o WordPress 3.1, não trazendo nenhuma nova funcionalidade.

Efeitos práticos — antes e depois do cache do banco de dados

Cada nova versão do WordPress parece trazer consigo algum trecho de código que faz com que o processamento do MySQL seja extremamente mais exigido do que em versões anteriores. A impressão fica devido ao volume de problemas de sobrecarga que passaram a acontecer com diversos clientes nossos — principalmente de VPS, mas também de servidores dedicados.

Documentamos três casos notáveis, que nos inspiraram na elaboração deste texto. Não revelaremos dados dos clientes (nome, endereço do site) porque não temos autorização para revelar tais informações, que nem são importantes para a ideia que queremos passar.

Caso 1: revista eletrônica, alta visitação, servidor dedicado, médio volume de posts

O servidor deste cliente é parrudo e, apesar da alta visitação constante, nunca tinha experimentado uma sobrecarga. Entretanto, quando o problema chegou elevou a carga do servidor para 47 — o normal para essa máquina é 8.

Após a configuração do plugin, a carga da máquina caiu abaixo de 1.

Caso 2: blog de concursos, alta visitação, VPS, alto volume de posts

A carga normal desta máquina seria em torno de 4, mas ela vinha operando com carga em 20 e picos além de 26. Graças ao Nginx, os visitantes não chegaram a perceber tanta lentidão, mas o dono do servidor e nós sabíamos que algo estava errado.

Após investigar as queries lentas ao MySQL, constatarmos que o problema eram mesmo as buscas do WordPress (que em alguns casos chegavam a obrigar o programa a analisar mais de 18 milhões de registros).

Após a instalação do plugin de cache, a carga desta máquina baixou para menos de 1, e depois estabilizou-se com valores ainda abaixo de 2.

Caso 3: Blog de empregos, baixa visitação, baixo volume de posts, VPS

Este foi certamente o caso mais difícil, pois o blog havia sido recém revisado, e tudo que era inútil ou questionável fora removido. A carga normal do servidor, que deveria ser de 4, estava acima de 20.

Observando a lista de processos da máquina descobrimos que um plugin de comentários em AJAX estava, por algum motivo até agora desconhecido, fazendo com que toda a capacidade de processamento fosse consumida por ele. Após a remoção do plugin problemático, o blog voltou a responder e a carregar, mas com muita lentidão.

Ao instalar o plugin de cache, em questão de poucos minutos a carga do servidor baixou para um pouquinho acima de 1.

Como instalar o DB Cache Reloaded Fix

A instalação do DB Cache Reload Fix é extremamente simples, podendo (e devendo) ser feita pelo próprio WordPress.

Passo 1: adicionar novo plugin

Passo 2: escolher as palavras chave

Passo 3: instalar o plugin

Passo 4: ativar o plugin

Como configurar o DB Cache Reloaded Fix

Uma vez ativado o plugin, aparecerá no topo da tela uma mensagem de alerta, dizendo que o plugin não está funcional porque não foi habilitado.

Marque a primeira caixinha de seleção (enable), e deixe os outros valores como padrão. Se seu ritmo de postagem for intenso, a duração do cache em 5min está ótima. Se você postar uma vez por dia, ou menos, pode inserir valores como 60min sem medo. Quanto maior a duração do cache, maior será o ganho no processamento.

Por fim, clique no botão de salvar (save) e pronto.

Configuração do DB Cache Reloaded Fix

Como confirmar que o DB Cache Reloaded Fix está funcionando

Uma vez instalado, ativo e configurado, o DB Cache Reloaded Fix imediatamente começará a operar, fazendo cache de todas as operações de banco de dados que forem possíveis.

Para confirmar que esteja tudo funcionando, aguarde alguns minutos para que seu blog seja acessado algumas vezes, e visualize o código fonte de qualquer página ou post. No finalzinho, vai haver um comentário HTML (que foi configurado no passo acima) indicando quantas queries foram feitas para a exibição da página, e quantas delas estavam em cache.

Verificação do desempenho do cache

Precisando de ajuda use o Suporte

O Suporte Técnico da PortoFácil está sempre pronto para ajudar. Se você já é cliente, acesse a Área de Cliente, se ainda não é faça contato e explique sua necessidade que faremos tudo ao nosso alcance para atender.

 

Quero ser cliente da PortoFácil!Contato

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.53
Total de Votos: 30

Acelere seu WordPress com um cache de banco de dados

Compartilhe

Publicado por Janio Sarmento – 16 de maio de 2017