Ferramentas de cache agressivas para WordPress

fecharEste post foi publicado há mais de seis meses, e as informações aqui contidas podem estar desatualizadas ou mesmo não terem mais nenhuma validade. Não nos responsabilizamos por eventuais mal entendidos.

A despeito de o quanto o WordPress tenha evoluído no transcurso do tempo, do quão flexível e poderosa ferramenta tenha se tornado, e da sua versatilidade incomparável, ele ainda requer ferramentas extra para ter o desempenho que webmasters, visitantes e robôs de indexação esperam.

No presente artigo vamos falar sobre ferramentas de cache para o WordPress. Embora não sejam as únicas ferramentas para acelerar um blog, são certamente as mais acessíveis a qualquer usuário e as mais impactantes no desempenho final do site.

Definição de cache

Em computação, “cache” (também grafado cachet ou cachê) é um dispositivo de acesso rápido, interno a um sistema, que serve de intermediário entre um operador de um processo e o dispositivo de armazenamento ao qual esse operador acessa.

Dito diferente: cache é uma área de armazenamento em que dados previamente processados ficam disponíveis para rápido acesso posterior, evitando que operações custosas (em termos de recursos de processamento) sejam repetidas.

Tipos de cache

Em termos de WordPress, há três tipos de cache possíveis:

  • cache de páginas;
  • cache de banco de dados;
  • cache de objetos.

Deste último, para facilitar o entendimento, vamos derivar o cache de widgets, que conta com um plugin específico para esta função.

Cache de páginas

O conceito é de cache de páginas simples, e a simplicidade é diretamente proporcional à sua importância para o WordPress.

Quando um visitante requisita uma determinada página, o WordPress precisa fazer operações complicadas para entregá-la: acessar o banco de dados, obter o texto do post, obter os comentários, os demais elementos da página, elaborar o layout de acordo com o tema, juntar tudo isso e entregar um HTML formatado de maneira a exibir no navegador aquilo que o visitante deseja.

Quando se tem um cache essa complexidade toda pode ser evitada para requisições sucessivas da mesma página.

O fluxo passa a ser: o visitante requisita uma página, o servidor verifica se ela existe em cache e se sim a entrega imediatamente, evitando todos os ciclos de processamento, acesso a banco de dados, etc. Se a página não existir no cache, o WordPress executa o processo todo, e salva uma cópia da página finalizada no cache, para que os acessos seguintes sejam acelerados.

Cache de banco de dados

A lógica do cache de banco de dados é a mesma do cache de páginas, porém específica para as consultas repetidas ao banco de dados. Sua utilização permite que o MySQL receba menos requisições, aliviando a carga da máquina.

Contudo, há que se ter em consideração que muitas vezes a utilização de cache no próprio MySQL é mais eficiente do que o uso de um plugin no WordPress. É necessário testar cada caso para encontrar a configuração ideal (com ou sem cache de banco de dados).

Cache de objetos

Sempre que uma página em WordPress é requisitada as opções todas do blog são requisitadas do banco de dados e salvas no que se chamam “objetos.”

O cache de objeto evita que a cada vez que o WordPress seja executado seja necessário também recriar estes objetos a partir do banco de dados.

Assim como o cache de banco de dados, pode não ser tão benéfico para o blog.

Cache de *widgets*

“Widgets” são os elementos que se adicionam às barras laterais (e dependendo do tema em uso no blog também no cabeçalho e no rodapé) das páginas. Alguns podem implicar um custo bem alto de processamento.

Um cache de widgets vai certamente diminuir bastante o processamento necessário para a geração das páginas que são entregues aos visitantes.

Assim como hoje em dia não se concebe mais um site sem leiaute responsivo, também não se admite um tema que faça codificação das barras laterais diretamente no código, sem usar os widgets.

Ferramentas de Servidor

Na PortoFácil os clientes podem contar com algumas tecnologias de servidor que nem de longe substituem os caches do próprio WordPress, mas ajudam a acelerar os sites e oferecem condições para que os caches no blog sejam implementados de maneira correta.

Aceleradores HTTP

Em nossas máquinas com cPanel oferecemos a possibilidade de o site usar uma camada de aceleração HTTP provida pelo Varnish ou pelo Nginx, ou mesmo usar o Nginx como único webserver.

A função destes é manter em memória RAM os arquivos que são requisitados com mais frequência, de forma a diminuir o volume de requisições para o Apache.

Memcached e Redis

Alguns plugins fazem cache de objetos e de banco de dados usando Memcached ou Redis (que são “bancos de dados” não relacionais que operam totalmente em RAM). Em máquinas pequenas (menos de 4GB de RAM) seu uso quase nunca é recomendado, mas a possibilidade existe para quem possa fazer uso dela.

Plugins de cache para WordPress

Agora que os conceitos estão compreendidos, vamos falar dos quatro plugins mais eficientes na implementação de caches agressivos para o WordPress. Todos eles podem ser instalados diretamente pelo instalador de plugins do Dashboard, e nossos clientes podem solicitar ajuda a qualquer momento com qualquer um deles.

W3 Total Cache

O W3TC é um dos mais completos e complexos plugins de cache para o WordPress. Sua abordagem de fazer “tudo” pode torná-lo pesado e a mínima desatenção a algum detalhe pode fazer com que em vez de acelerado o blog fique mais lento do que sem cache algum.

Entretanto, ele tem suporte a cache de páginas, de objetos, de bancos de dados, e é capaz de usar o Memcached para qualquer destas opções.

Seja como for, a recomendação é que nunca se use o cache de páginas em qualquer opção que não “Disk Enhanced.”

WP Super Cache

Queridinho de muita gente (nós incluídos) o WPSC faz uma coisa bem feita: cache de páginas.

Por não ter o excesso de opções do W3TC ele se torna muito leve, e quando configurado corretamente (mod_rewrite) também entrega páginas diretamente do cache, reduzindo substancialmente a necessidade de poder de processamento no servidor.

WP Widget Cache

Como explicamos acima, o WP Widget Cache tem por função fazer cache dos widgets do WordPress. Nos artigos citados em “leitura adicional” ao final deste artigo será possível encontrar instruções de como configurar corretamente o plugin.

Os clientes da PortoFácil também podem requisitar ajuda ao suporte para esta tarefa.

DB Cache Reloaded Fix

Este é o plugin responsável por fazer cache das consultas ao MySQL. Como já dito acima, nem sempre ele vai fazer bem ao blog. Há casos em que a carga extra de salvar os resultados no cache em disco representam um excesso.

Conclusão

A configuração correta dos plugins de cache é fundamental para o bom funcionamento do WordPress. Os clientes da PortoFácil contam com suporte especializado para a configuração do cache de seus blogs; é só abrir um chamado de suporte.

Também quero ser cliente PortoFácil!Contratar

Leitura adicional

 

Quero ser cliente da PortoFácil!Contato

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.41
Total de Votos: 29

Ferramentas de cache agressivas para WordPress

Compartilhe

Publicado por Janio Sarmento – 20 de agosto de 2015