O que é RAID e qual sua importância para os servidores

RAID e a sigla para Redundant Array of Independent Disks, conjunto redundante de discos independentes, e tem influência direta na segurança dos seus dados e no desempenho do seu servidor.

RAID

RAID (Redundant Array of Independent Disks, conjunto redundante de discos independentes) é como se chama a tecnologia de espelhamento de unidades de disco, que tem por objetivo melhorar a segurança dos dados armazenados neles, bem como acelerar o acesso às informações.

Por que usar (ou não usar) RAID

Como regra geral, sempre que possível devemos fazer uso de RAID em quaisquer servidores dedicados, uma vez que o custo dessa tecnologia é relativamente barato atualmente.

O ganho com segurança (pela redundância dos dados) compensa o investimento mais alto, bem como a facilidade de recuperação em caso de desastre também é uma justificativa mais do que suficiente para inclusão desta tecnologia em todas as máquinas.

Assim, não vemos motivo para não se usar RAID.

O custo do RAID pode ficar um pouco mais elevado quando forem necessárias controladoras físicas — hardware — para implementação. Entretanto, RAID por software é suficientemente eficiente para a maioria dos casos, sem implicar os gastos e a complexidade adicionais.

Níveis de RAID

Os conjuntos de disco em RAID costumam ser classificados em “níveis” de acordo com a maneira como são configurados.

Os dados armazenados em um conjunto RAID podem ser espelhados (daí a redundância), podem ser fragmentados (o que aumenta o desempenho) ou uma combinação destas.

RAID 0

No RAID nível 0 não existe espelhamento, logo os dados não são redundantes.

Entretanto os dados são fragmentados, ou seja, parte da informação fica armazenada fisicamente em uma unidade, parte em outra.

Essa característica faz com que o acesso aos dados, principalmente nas operações de gravação, fique um pouco mais rápido. Porém, caso uma das unidades do conjunto sofra danos o conjunto inteiro estará condenado, não sendo possível recuperar os dados com segurança e rapidez (salvo milagres e outras condições sobrenaturais com as quais não trabalhamos).

RAID 0 requer pelo menos duas unidades de disco iguais para funcionar.

RAID 1

Semelhante ao RAID 0, o RAID 1 também requer duas unidades de disco para funcionar. O espaço total disponível no conjunto será igual ao tamanho de uma unidade.

Entretanto, enquanto o RAID 0 trata de fazer fragmentação dos dados o RAID 1 faz exclusivamente espelhamento destes.

Em outras palavras, tudo o que é gravado no conjunto de discos é gravado igualmente em todas as unidades, ou seja, cada disco contém cópias completas de todos os dados do conjunto. Tal característica implica uma alta tolerância a falhas, e em caso de pane em uma das unidades de disco o sistema continua funcionando com a(s) outra(s) unidade(s) perfeitamente, possibilitando ações preventivas antes mesmo que um desastre aconteça, tais como a migração dos dados para um servidor novo.

Embora uma avaliação superficial possa levar a crer que RAID 1 pode ser lento, na prática isso não acontece, ainda mais em se tratando de armazenamento em SSD.

RAID 5

Já o RAID 5 requer pelo menos três discos e tem características tanto do RAID 0 quanto do RAID 1: os dados são distribuídos em todos os discos, mas também são mantidas cópias das informações de paridade que possibilitam ao dispositivo controlador reconstruir as unidades em caso de falha, possibilitando ao sistema operar mesmo que uma das unidades sofra danos.

RAID 10

RAID 10 ou RAID 1+0 é o mais rápido, complexo e confiável nível de RAID.

Na verdade é chamado de 10 ou 1+0 porque combina as características de distribuição de dados do RAID 0 com a redundância do RAID 1.

Este nível de RAID requer pelo menos quatro unidades de disco, e o espaço total disponível será igual ao espaço disponível em uma única unidade. Isso porque, reiteramos, os dados são distribuídos e espelhados totalmente nesse arranjo.

Pela sua complexidade o RAID 10 requer controladoras físicas mais caras, bem como a quantidade de unidades idênticas a tornam mais dispendiosas.

Outros níveis de RAID

Existem outros níveis de RAID (2, 3, 4 e 6) que propositalmente não cobrimos aqui porque são mais raros e nosso objetivo é esclarecer e não ser detalhistas ao extremo.

RAID não substitui backups!

O que é RAID e qual sua importância para os servidores

Como último alerta, vale lembrar que RAID, não importa como seja feito, não substitui ou suplanta a necessidade de uma boa política de cópias de segurança.

Nunca é demais lembrar uma piada comum nos ambientes de TI da empresa que faliu após uma pane em seus computadores porque tinha uma excelente política de backup mas nunca tinha pensado em uma de restore.

Os clientes da PortoFácil contam com backups diários automáticos de seus sites em servidores localizados em continentes distintos, e podem trabalhar sem preocupar-se com este imenso detalhe.

 

Quero ser cliente da PortoFácil!Contato

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 4.83
Total de Votos: 6

O que é RAID e qual sua importância para os servidores

Compartilhe

Publicado por Janio Sarmento – 06 de julho de 2018