Lista completa de status e códigos de respostas HTTP

Conheça a listagem completa de todos os códigos de status HTTP disponíveis, assim como o agrupamento de cada um deles em cinco classes distintas.

Lista completa de status e códigos de respostas HTTP. O protocolo HTTP (HyperText Transfer Protocol) possui vários códigos de respostas que são gerados — e, quando necessários, exibidos na tela do usuário — de acordo com a necessidade. Ou seja, trocando em miúdos, esses códigos tem por objetivo indicar se determinada requisição HTTP foi devidamente executada e/ou concluída com sucesso.

Lista completa de status e códigos de respostas HTTP
Lista completa de status e códigos de respostas HTTP.

Agrupamento de classes

Sendo assim, a lista de códigos de status HTTP são divididos em cinco tipos de classes, tais como:

  • 100 ~ 199 significam respostas informativas;
  • 200 ~ 299 significam respostas de sucesso;
  • 300 ~ 399 significam redirecionamentos de páginas e URL’s;
  • 400 ~ 499 significam mensagens de erros referente ao cliente;
  • 500 ~ 599 significam mensagens de erros referente ao servidor.

Códigos de status: respostas informativas

  • 100 – Continue: Resposta provisória do servidor, mostrando que a requisição teve um retorno satisfatório;
  • 101 – Switching Protocol: Resposta referente à solicitação Upgrade, realizada pelo cliente;
  • 102 – Processing: Resposta indicando que o servidor está processando a requisição;
  • 103 – Early Hints: Usado pelo cabeçalho Link, esta resposta solicita ao agente a inicialização e/ou o pré-carregamento de recursos para o servidor.

Códigos de status: respostas de sucesso

  • 200 – OK: Requisição bem sucedida;
  • 201 – Created: Requisição bem sucedida, ou seja, recurso criado com sucesso;
  • 202 – Accepted: Requisição recebida, entretanto, não foi realizada nenhuma ação;
  • 203 – Non-Authoritative Information: Determinadas informações não correspondem às que estão disponíveis no servidor de origem;
  • 204 – No Content: Não existe solicitação que deva ser repassada para o user-agent;
  • 205 – Reset Content: Requisição solicitando para o user-agent realizar a redefinição de visualização do documento;
  • 206 – Partial Content: Resposta usada para separar o download em várias partes e/ou fluxos;
  • 207 – Multi-Status: Resposta de requisição para transmitir informações sobre vários recursos em cima de códigos que podem ser apropriados;
  • 208 – Multi-Status: Resposta de requisição que é usada dentro do elemento <dav:propstat>.
  • 226 – IM Used: Informação de que o servidor executou uma solicitação do tipo GET de acordo com a representação.

Códigos de status: mensagens de redirecionamento

  • 300 – Multiple Choice: Requisição informando que existem mais de uma resposta, ou seja, que o user-agent ou o próprio usuário deve fazer a escolha final;
  • 301 – Moved Permanently: Aviso de que uma URL foi movida permanentemente para outro endereço;
  • 302 – Found: Aviso informando que uma URL foi movida de forma temporária;
  • 303 – See Other: Resposta do servidor avisando ao cliente buscar pelo que foi requisitado em outra URL via GET;
  • 304 – Not Modified: Resposta geralmente usada para cache;
  • 307 – Temporary Redirect: Aviso informando ao user-agent para não mudar o método HTTP que foi usado;
  • 308 – Permanent Redirect: Mensagem informando que o recurso solicitado foi localizado de forma permanente em outra URL. Possui praticamente a mesma semântica do 301 - Moved Permanently, entretanto, avisa ao user-agent a não mudar o método HTTP que foi usado.

Códigos de status: respostas de erros do cliente

  • 400 – Bad Request: Por existir uma sintaxe inválida, o servidor não entendeu o tipo de requisição;
  • 401 – Unauthorized: Necessário autenticação para ter acesso;
  • 402 – Payment Required: Código que tem o objetivo de ser utilizado para sistemas de pagamentos digitais;
  • 403 – Forbidden: Aviso de que o cliente não tem permissão de acessar determinado conteúdo;
  • 404 – Not Found: O servidor não conseguiu encontrar o que lhe foi solicitado.
  • 405 – Method Not Allowed: Solicitação em que o servidor reconhece, mas não consegue utilizá-la;
  • 406 – Not Acceptable: Aviso do servidor de que este não conseguiu encontrar nenhum conteúdo referente aos solicitados pelo user-agent;
  • 407 – Proxy Authentication Required: Aviso de que cliente precisa se autenticar, mas desta vez via Proxy para ter acesso;
  • 408 – Request Timeout: Resposta enviada quando uma conexão se torna ociosa;
  • 409 – Conflict: Mensagem de conflito entre requisições;
  • 410 – Gone: Conteúdo requisitado foi apagado permanentemente;
  • 411 – Length Required: Resposta do servidor rejeitando a requisição pela falta de definição do campo Content-Length no cabeçalho;
  • 412 – Precondition Failed: Indicação de que existem condições que o servidor não consegue atender;
  • 413 – Payload Too Large: A requisição é maior que os limites pré-definidos pelo servidor;
  • 414 – URI Too Long: A URI é maior que os limites de interpretação do servidor;
  • 415 – Unsupported Media Type: Aviso de que o formato de mídia não é suportado pelo servidor;
  • 416 – Requested Range Not Satisfiable: O servidor não consegue preencher a especificação do campo Range;
  • 417 – Expectation Failed: O servidor não pode realizar a expectativa indicada no campo Expect;
  • 418 – I’m a teapot: Aviso do servidor se recusando a coar café em uma chaleira, ou seja, que não faz milagres;
  • 421 – Misdirected Request: O servidor está incapaz de produzir a resposta de uma requisição;
  • 422 – Unprocessable Entity: Aviso de que a requisição está inabilitada, pois existem erros de semântica;
  • 423 – Locked: O recurso requisitado está travado de alguma forma, ou por algum motivo;
  • 424 – Failed Dependency: Aviso de que determinada requisição prévia falhou;
  • 425 – Too Early: O servidor não deseja se arriscar no processamento de uma requisição. Ou seja, que pode ser, de alguma forma, refeita;
  • 426 – Upgrade Required: Resposta do servidor se recusando a executar determinada requisição usando um protocolo, entretanto, está apto a fazê-la depois que o protocolo ser atualizado por um diferente;
  • 428 – Precondition Required: O servidor de origem precisa que a resposta seja tratada de forma condicional;
  • 429 – Too Many Requests: Mensagem avisando que o usuário enviou várias requisições em um curto espaço de tempo;
  • 431 – Request Header Fields Too Large: O servidor não vai processar as requisições, pois o cabeçalho possui tamanho excessivo;
  • 451 – Unavailable For Legal Reasons: Mensagem de que o usuário solicitou um recurso ilegal.

Códigos de status: respostas de erros do servidor

  • 500 – Internal Server Error: O servidor não consegue executar a requisição;
  • 501 – Not Implemented: Resposta de aviso informando que determinada requisição não é suportada pelo servidor;
  • 502 – Bad Gateway: Mensagem avisando que o servidor, ao trabalhar com um gateway, encontrou uma resposta inválida;
  • 503 – Service Unavailable: Servidor avisando de que, por algum motivo, não está apto para manipular tal requisição. Sendo assim, pode ser sinal de que o servidor esteja sobrecarregado ou em manutenção;
  • 504 – Gateway Timeout: Resposta dada pelo servidor quando este está trabalhando como gateway, contudo, por algum motivo, não consegue uma resposta em tempo hábil;
  • 505: HTTP Version Not Supported: Aviso de que a versão do HTTP, que está sendo usada na requisição, não possui suporte pelo servidor;
  • 506 – Variant Also Negotiates: Mensagem quando existe algum erro de configuração interna no servidor, mas não declarado;
  • 507: Insufficient Storage: Mensagem informando que o servidor possui um erro interno de configuração, ou seja, em que ele negocia o conteúdo com ele mesmo;
  • 508 – Loop Detected: O servidor encontrou um loop infinito durante o processamento de uma requisição, por isso não pode seguir adiante;
  • 510 – Not Extend: Aviso de que necessita-se de extensões posteriores para que o servidor possa atender à solicitação;
  • 511 – Network Authentication Required: Mensagem informando de que o cliente precisa realizar autenticação para ter acesso à rede.

Conclusão

Embora existam dezenas de códigos de status HTTP, somente alguns deles são rotineiramente usados. Entretanto, para quem trabalha com servidores, sites e blogs, é sempre bom ter em mãos essa listagem completa. Principalmente para casos eventuais, obviamente. Por isso, toda vez que aparecer um desses códigos na sua tela, saiba que esta lista está aqui para lhe ajudar.

Enfim, se você é cliente da PortoFácil Hospedagem de Sites, contamos com uma equipe técnica especializada e pronta para lhe ajudar no que for preciso. Então, se for de sua necessidade, entre imediatamente em contato conosco.


Foto: Max Duzij via Unsplash.

 

Quero ser cliente da PortoFácil!Contato

Publicado por Celso Junior – 06 de julho de 2020